De graça? Até jogo bom! Edição Fevereiro 2016

Antes tarde do que nunca! Seguem abaixo os jogos “0-800” do mês de fevereiro de 2016 para os consoles da Microsoft e da Sony.

 GwG

A Microsoft continua correndo atrás do tempo perdido e se esforça para angariar mais gamers para sua legião. A grande sacada continua sendo o fato de que os jogos disponibilizados para o Xbox360 também podem ser jogados pelos usuários do XboxOne. Valeu, Microsoft!

gwgfeb2016

Hand Of Fate é um jogo bem incomum, misturando Ação, RPG e a construção de um deck de cartas que será utilizado para transpor as diversas masmorras do game. Ao entrar em um combate, todas as cartas do jogador se transmutam em personagens 3D para travar as batalhas. O jogo é só praqueles que tem o Xbox One.

Também para o XOne, Stix: Master of Shadows deve repetir o pífio desempenho de quando foi lançado grátis na PSN Plus longínquos 8 meses atrás, em Julho de 2015. Muito criticado na sua mecânica de combate na época de seu lançamento, o gameplay é basicamente stealth, onde o jogador assume a pele de um goblin que deseja roubar o coração de uma árvore enquanto se esgueira pelas sombras.

De prêmio extra para o Xbox360, papai Bill Gates traz Sacred Citadel e Gears of War 2, sendo este último um dos melhores jogos já lançados para o console. Bola dentro da Microsoft, vale a pena o download! – Principalmente se você não tem a série Uncharted à disposição.

 PSPlus

A Sony mais uma vez não traz nenhum Triple A, mas isso não quer dizer que os jogos são ruins – pelo contrário! Vamos a eles:

Helldivers: Democracy Strikes Back é um ótimo jogo que coloca o player em um tiroteio frenético em um futurista cenário isométrico. Um prato cheio para quem está disposto à uma aventura cooperativa com até outros 3 amigos gamers. O pacote é completo e pode ser jogado no PS4, PS3 e PS Vita.

psplusfeb

Já em Nom Nom Galaxy, prepare-se para ser um gamer polivalente. O jogo mistura plataforma, construção de bases, gerenciamento de recursos escassos e gira em torno de … preparação de sopas! Sim, caberá a você se tornar um Claude Troigros intergaláctico, criando vários tipos de sopas e elevando a qualidade da sua cozinha industrial a níveis astronômicos! Esta MARRAVILHA dá as graças no PS4!

De rebarba, a mãe Sony ainda presenteia seus fiéis discípulos com o nostálgico, estratégico e sempre suicida Lemmings Touch, bem como Nova 111, que mistura um puzzle futurista com uma aventura em turnos – ambos para PSVita!

Os gamers que ainda estão gastando seus PS3’s não ficam atrás e recebem Grid Autosport e Persona 4 Arena Ultimax.

A Sony também aproveitou o ensejo para anunciar com começa no dia 9 de Fevereiro a votação para o game grátis do mês que vem. O mais votado estará no pacote de jogos grátis de Março de 2016 da PSN Plus, enquanto os outros dois terão descontos significativos em seu valor. Estão no paredão Broforce, Assault Android Cactus e Action Hank!

psnvotemarch2016

Bom, é isso aí! Nos vemos mês que vem!

Resenha: Grim Fandango Remastered

grim fandango logo

Uma grande aventura na Terra dos Mortos


Uma jornada ao passado

Nascido nos anos 80, tive o prazer de experimentar uma série de games de aventura point&click nos anos 90. Fui parte de uma gangue de motoqueiros em Full Throttle, viajei para o espaço em The Dig, cacei tesouros em Monkey Island e muito mais. A quantidade de jogos que saíam neste estilo na dita década era impressionante – e a qualidade da grande maioria não deixava a desejar.

Criado por Tim Schafer e deselvolvido pela Lucasarts em 1998, Grim Fandango foi um hit no seu ano de lançamento. Infelizmente, como à época a minha pré-histórica placa de vídeo não era capaz de reproduzir os gráficos fantásticos desta sensacional obra de arte, minha vontade de mergulhar a fundo no jogo foi reduzida a ocasionais jogatinas na casa dos amiguinhos com mais poderio financeiro.

Entretanto, eis que em 2015 o universo conspirou para que o jogo fosse relançado remasterizado para as PC, PS4 e PSVita. Como um gamer que espera sempre alcança, caí dentro desta aventura com pitadas fortes de nostalgia.

grim fandango 1“Fantasia de Halloween? Negativo”

 Um emprego nada comum

Em Grim Fandango você controla Manny Calavera, um agente de viagens. A diferença de Manny para um agente de viagens normal é muito simples: Manny já morreu. Vestindo um capuz preto e carregando uma foice, Manny é responsável por providenciar o melhor pacote de viagens possível para que as almas penadas atravessem a Terra dos Mortos.

Com profundas raízes na arte asteca e com frequentes referencias visuais ao México e ao feriado do Dia de Los Muertos, Grim Fandango se desenrola facilmente aos olhos dos gamers que procuram uma boa história. O que parece simples aos poucos se torna complexo quando você tem que ajudar Manny a desvendar uma intrincada teia de corrupção do mundo dos mortos e salvar a bela – e também já morta – Mercedes Colomar.

O humor cru de Tim Schafer é rapidamente reconhecido no roteiro do game. Todos os personagens são muito bem elaborados e com frequência você irá perceber que está com um sorriso no rosto enquanto seleciona as diversas opções de diálogo. Mas não se engane: Grim Fandango é um jogo difícil. Os puzzles não são triviais assim como muitos jogos contemporâneos a ele.

grim fandango 3“Manny batendo um papo com Glottis, provavelmente o melhor personagem do jogo”

Sabe aquele sorriso estampado no seu rosto? Rapidinho ele vai embora.

Devo admitir que minha a expectativa ao jogar a versão remasterizada de Grim Fandango estava lá no alto. Talvez por isso tenha me decepcionado tanto.

Ao contrário do trabalho fantástico de remasterização realizado pela Bluepoint na trilogia de Uncharted, a remasterização da Double Fine me pareceu quase nula. A única mudança relevante é a inclusão de um mais moderno esquema no controle do personagem, em substituição ao clássico “controle tanque-de-guerra” (este ainda disponível nas opções de jogo para os saudosistas de plantão).

De resto, nada. Os gráficos estão rigorosamente iguais ao da versão original de 1998, apenas um retoque aqui ou outro acolá. Pior ainda: por vezes eu apertava o botão [SELECT] do PSVita para jogar na versão original, pois a remasterização estava muito escura. Ou seja, se você compra a versão remasterizada mas opta por jogar a original, é porque algo está errado…

Ainda sobre a parte gráfica, a tela do jogo ainda é na antiga razão 4:3, obrigando o player a abandonar o moderno widescreen para jogar confinado num pequeno quadrado. Você tem a opção de ajustar a imagem, mas ele apenas “estica” a tela original, deixando os personagens deformados. Lamentável.

Para piorar ainda mais, o cross-save entre o PSVita e o PS4 não funciona bem e gera mais dor de cabeça do que a praticidade divulgada. No caso do PSVita a situação ficou ainda mais complicada: o progresso do jogo não salva no sistema, mas sim de forma automática na nuvem da PSN, o que me impedia de acessá-lo caso eu não estivesse conectado em uma rede Wi-Fi.

Outro ponto fraco é a ausência de um “auto-save” – problema esse que fica ainda pior devido aos incontáveis bugs e crashes da versão remasterizada. Diversas vezes o jogo desligou sozinho, perdendo todo meu progresso e me obrigando a recomeçar do último save – que, obviamente, tinha ocorrido no mínimo uma hora antes.

grim fandango 2“Versão Original x Versão Remasterizada: Tão igual que parece jogo dos 7 erros”

Vivo ou Morto?

A conclusão é bastante simples. Se eu estivesse resenhando o jogo original em 1998, Grim Fandango provavelmente levaria uma nota máxima – ou talvez muito próxima desta. A história é espetacular e os personagens são memoráveis. Bom humor não envelhece. Além disso, o estilo de jogo quase esquecido é um prato cheio para gamers saudosistas como eu, mesmo com o ritmo sendo mais lento do que estamos acostumados nos games de hoje em dia.

Entretanto, fui buscar na nova versão de Grim Fandango um “algo mais” que não consegui encontrar. Muito pelo contrário, a remasterização é tão fraca e cheia de bugs que conseguiram transformar o bom de 1998 no ruim de 2015. O que era prazeroso antes no passado deixa hoje um gosto amargo na garganta.

Por vezes enquanto jogava no PSVita fiquei pensando que a Double Fine era tão saudosista quanto eu – porém eles foram mais além: ao invés de remasterizar somente o jogo, remasterizaram também o TILT dos jogos dos anos 90.

Caso você queira acompanhar as fantásticas aventuras de Manny Calavera, fica a dica: melhor voltar ao jogo original e fugir desta nova versão. Caso contrário, fique preparado para dar um level up na sua paciência.

Nota: grimfandangonota (2,0/5,0)

De graça? Até jogo bom! Edição Dezembro 2015

Amigos Gamers! Chegamos ao derradeiro mês de 2015!! Que tal conferirmos as ofertas de jogos grátis dos serviços da Microsoft e Sony no mês de dezembro???

 gameswgold

Temos cinco jogos este mês para o X-box Live, um a mais que no mês anterior! Lembrando que depois da atualização de sistema do X-box One os seus usuários podem jogar os cinco jogos disponíveis (dois da nova geração e três do X-box 360), Vamos a eles!

Jogos para X-box One

xoneDEC151

The Incredible adventures of Van Helsing estará disponível durante todo o mês de dezembro, este Jogo de RPG tem boas doses de Hack and Slash, bons gráficos e jogabilidade em um ambiente gótico (Me lembrou muito o estilo de Diablo).

Thief estará disponível na Live entre 16 de dezembro e 15 de janeiro. Jogo no estilo Stealth, Thief não recebeu grandes notas, mas de graça vale a pena né?

Jogos para X-box 360

xoneDEC152

Todos os jogos conhecidos. Castlestorm é um divertido jogo de estratégia em gráficos 2D (disponível na primeira quinzena de dezembro), Sacred 3 é mais um jogo parecido com Diablo. RPG/ Hack and Slash baseado no sistema de classes, ótimo para jogar com amigos e Operation Flash point é um jogo de FPS feito pela Codemasters, que é mais conhecida pelos seus jogos de corrida. Os dois últimos jogos estarão disponíveis apenas na segunda quinzena de dezembro.

 psplusA Sony seguiu o mesmo feijão com arroz do ano inteiro no mês de dezembro. Dois jogos indies para PS4, dois jogos para PS3 e dois jogos para PSVITA (todos disponíveis a partir da primeira terça-feira do mês de dezembro). Vamos lá!

Jogos para PS4

Desde que liberou Injustice: God Among Us no final do ano passado, a Sony só liberou jogos Indies para os assinantes da PSN PLUS no PS4. Será que a Sony sentou na sua liderança isolada no mercado de games? Embora não tenhamos nenhum “triple A” esse ano, temos bons jogos Indies.

ps4DEC151

Com notas razoáveis entre crítica e usuários, Gauntlet é um excelente jogo de ação/RPG para jogar de modo cooperativo com até 4 pessoas (bastante comum isso hoje em dia né?), King’S Quest é um bonito jogo de fantasia e puzzles que vale a pena ser visto, mas apenas o PRIMEIRO EPISÓDIO. Então, aí vai a minha opinião…

Dar na PSN Plus o primeiro capítulo de um jogo episódico DE NOVO sony? É a mesma coisa de dar um pacote de figurinhas para uma criança – foi de graça, mas o pai da criança vai ter que comprar o álbum. Jogue um episódio que vai durar umas duas ou três horas no máximo e depois tire a aranha da carteira se quiser ver o final do jogo comprando os outros episódios ou acendendo uma vela para a mãe Sony liberar os outros episódios.

 Jogos para PS3

ps4DEC152

Aí sim!! Far Cry: Blood Dragon dispensa apresentações enquanto SSX é um competente jogo de Snowboard. Nessas horas que faz falta uma retrocompatibilidade…

Jogos para PSVITA

 ps4DEC153

Freedom Wars é um RPG de ação com bons gráficos e recebeu boas notas no seu lançamento, vale a pena dar uma olhada. Rocketbirds é um shooter em 2D com excelentes gráficos, parece bem divertido e merece uma atenção.

Gamer Como A Gente joga no fim de semana

Feriadão vindo… Não tem nada para jogar….

Deixa disso rapaziada!! Segue uma listinha de jogos recomendados pelo GCG com preços abaixo de R$50,00 (Sim, nem todos são Batman). Vamos a ela!!!

Assassin’s Creed: China

GCGplay1

Curte Assassin’s Creed, mas está cansado da mesmice? Se liga nesse belo jogo recomendado por Diego Ferreira (clique aqui), Você controla a assassina Shao Jun em um belo jogo com jogabilidade 2.5D, aprende sobre a Dinastia Ming do século XVI e tudo isso por apenas R$20,99 na PSN e R$29,00 na XBox Live.

Apotheon

GCGPlay2

Com um design caprichado, inspirado na arte grega, Apotheon tem uma belíssima jogabilidade 2D onde você vive a aventura de Nikandreos em busca dos poderes dos deuses do Olimpo para salvar a humanidade. R$30,99 na PSN.

CounterSpy

GCGPlay3

 Utilizando a temática da guerra fria, você é um espião da agência C.O.U.N.T.E.R, que sempre entra em ação quando uma das superpotências mundiais está próxima de iniciar uma guerra. Interessante saber que você é um agente neutro, sabotando os planos dos dois lados para manter a paz. R$30,99 na PSN.

Rayman Legends

GCGPlay4

Essa é para você que tem um XBox One!! A Live está com uma promoção para clientes Gold e esse jogão que dispensa apresentações está R$50,00!!! Belo jogo para o feriadão, hein!

Grim Fandango

GCGPlay5

Esse épico jogo remasterizado vale muito a pena ser jogado, siga de perto as aventuras de Manny Calavera no mundo dos mortos e se impressione com o humor sutil e situações cômicas. R$30,99 na PSN.

GCG Podcast #011: Pirataria

Cast011-VitrinePirataria

Download | iTunes | Feed
Arte da vitrine: Rodrigo Estevão
Edição: Diogo Moura

Ahoy Gamers! Sejam muito bem-vindos ao mais novo episódio do Gamer Como a Gente! Pedimos desculpas, mas fatores extemporâneos nos impediram de lançar antes, mas não temam! Escapamos dos nossos ferozes algozes e aqui estamos!

Hoje vamos falar de um tema muito sensível da indústria gamer! PIRATARIA! Qual é o conceito de pirataria? Você já foi um marujo? Para que servem os sacos pretos? A pirataria ajudou a popularizar a cultura gamer no Brasil? Ainda existe pirataria? Há novas formas de se obter algo alternativo? Vamos debater tudo nesse grande episódio. E lembrem-se amigos gamers, somos completamente contra a pirataria! Aqui o objetivo é apenas de debate do conceito.

Vamos lá, deixem seus comentários, experiências e críticas! Queremos ouvi-los! Curtiram? Ajudem espalhando o conteúdo e avaliando na iTunes Store e sejam gamers como a gente!