Artigo: Caçadores de Troféu

trophy hunter 0Quem joga videogame hoje já está acostumado a ganhar troféu. Mas será que vale mesmo correr atrás deles?


A última geração (PS3/XBox 360) foi responsável por mudar o mundo dos games em diversas maneiras. Gráficos que beiram a realidade, enredos complexos e partidas multiplayer online deixaram de ambientar os sonhos de sedentos gamers como a gente para se tornarem uma realidade ao alcance de qualquer um que possua um controle – estes, hoje em dia, já sem fio.

Entretanto, a geração passada também inovou em algo que definitivamente não era esperado pela imensa massa gamer: a adição de troféus e conquistas em cada jogo. Atualmente todo game lançado traz consigo um pack de troféus completamente arbitrários para serem caçados.

trophy hunter 1“Obviamente não é desse tipo de troféu que você vai caçar – e esse cara na foto é um babaca, by the way”

Muitos clamam por aí que os troféus não servem para nada. Afinal, muitos de nós vivemos e jogamos videogame em uma época em que eles não existiam e nos divertíamos da mesma forma. Já outros bradam que as conquistas já se tornaram peça fundamental no mundo dos games atuais.

A pergunta é: Quem está certo nessa discussão?

Por incrível que pareça, penso que as duas partes estão igualmente certas… e também igualmente erradas.

Ahn? Como assim?

trophy hunter 4“Pegar o tesouro pode ativar uma armadilha mortal atrás de você”

Muitos gamers afirmam que caçar todos os troféus de um jogo é a melhor forma de dar valor ao dinheiro investido na compra deste maravilhoso ativo que tanto amamos. As conquistas nada mais seriam do que agregadores de valor. Seriam aquele estímulo extra para o gamer jogar aquele jogo uma vez mais, ou talvez experimentar um nível de dificuldade mais elevado.

Entretanto, talvez a principal razão da existência dos troféus e criação das conquistas pelos desenvolvedores de jogos sejam os universalmente famosos bragging rights. Como gostamos de dizer no Rio de Janeiro, é só “pra tirar onda”. Os troféus seriam a forma mais fácil de provar que você comandou um jogo de todas as formas possíveis. Afinal, qual gamer nunca teve suas árduas conquistas desacreditadas pelos amiguinhos invejosos no recreio do colégio?

Por exemplo: meu grande amigo Diogo Moura, membro fundador do Gamer como a Gente, editor de podcast e reconhecidamente um dos maiores sega-maníacos do Brasil está cansado de me falar que quando era criança zerava os jogos do Sonic com os pés nas costas.

Talvez, se existissem troféus naquela época, ele pudesse provar…

trophy hunter 3“Farejando facilidades: Assim é mole, Diogão!”

Já outros juram de pés juntos que as conquistas não servem para nada e inflam os jogos de uma forma irreal. E isto também e verdade: devemos reconhecer que muitos troféus são inconsequentes e realmente não agregam nada ao gameplay. Afinal, porque diabos você ficaria apertando o botão 2.047 vezes em uma missão de Command & Conquer, por exemplo? Vale a pena sair do seu caminho normal e perder valiosos minutos de gameplay para isso?

Além disso, em termos comparabilidade, o valor prático de uma conquista adquirida em um game é zero. O troféu de platina de Dark Souls vale rigorosamente a mesma coisa que o troféu de platina do jogo da Hannah Montana. O seu Level (no Playstation) ou seu Gamerscore (no X-box) não querem dizer absolutamente nada.

Então, porque continuar nesta caçada?
A resposta, na verdade, pode ser bem mais simples do que a pergunta.

trophy hunter 2“Seria você um escravo de você mesmo?”

Quando criança eu era aficionado por coleções: bolinhas de gude, chaveiros, times de futebol de botão, revistas em quadrinho, cards, bonés, álbuns de figurinha…  – e se eu continuasse esta lista, provavelmente não terminaria hoje. Qualquer semelhança com o Colecionador, vilão cósmico da Marvel, é apenas mera coincidência.

O mais curioso é que grande parte dos meus itens colecionáveis não possuía nenhum valor monetário – o verdadeiro valor era sentimental: nada se comparava à alegria transcendental de adquirir um item novo para a coleção.

É impossível ignorar a óbvia semelhança: as bolinhas de gude de ontem são os troféus de hoje. E com um plus: são de graça! Eles vêm contidos naquele jogo que você já compraria de qualquer forma. E para tirar onda com os amigos é ainda mais fácil que antigamente, basta mostrar seu username/gamertag.


“Estimulando uma saudável competição”

Claro que nós gamers nunca estamos satisfeitos. Seria interessante se Microsoft e Sony implementassem recompensas melhores para aqueles jogadores que correram atrás de todos os troféus de um jogo. Você não gostaria de ganhar um avatar ou um papel de parede do Big Boss ao ganhar a platina do Metal Gear Solid V? Ou melhor ainda, que tal ganhar um desconto de 5% na compra de Hearts of Stone, DLC do Witcher 3, caso você já tenha recebido todas as conquistas de Geralt de Rivia no jogo original?

Apesar de tudo e no final das contas, em termos práticos, qualquer coisa que possa – mesmo que minimamente – aumentar o seu prazer de jogar videogame nunca deve ser descartada. Ninguém te obriga a buscar todas as conquistas de um jogo. Mas se a caçada pelos troféus pode trazer qualquer tipo de satisfação, porque não buscá-los? Tudo que pode fazer de um gamer como a gente um gamer feliz é sempre bem-vindo.

Nos vemos online! Em busca da próxima platina!